Browsing by Title


or enter first few letters:  
Showing results 5423 to 5442 of 5698 < previous   next >
PreviewTitleAuthor(s)???itemlist.dc.contributor.author1???Issue Date???itemlist.dc.description.resumo???
2016_regimento_interno_lncc_revogado.pdf.jpgRegimento interno do Laboratório Nacional de Computação Científica: 2016-Laboratório Nacional de Computação Científica (Brasil) (LNCC)2016-11-16-
2020_regimento_interno_lncc.pdf.jpgRegimento interno do Laboratório Nacional de Computação Científica: 2020-Laboratório Nacional de Computação Científica (Brasil) (LNCC)2020-09-11-
2022_regimento_interno_lncc.pdf.jpgRegimento interno do Laboratório Nacional de Computação Científica: 2022-Laboratório Nacional de Computação Científica (Brasil) (LNCC)2022-11-22-
2016_regimento_interno_mast.pdf.jpgRegimento interno do Museu de Astronomia e Ciências Afins: 2016-Museu de Astronomia e Ciências Afins (Brasil) (MAST)2016-11-16-
2020_regimento_interno_mast.pdf.jpgRegimento interno do Museu de Astronomia e Ciências Afins: 2020-Museu de Astronomia e Ciências Afins (Brasil) (MAST)2020-09-10-
2022_regimento_interno_mast.pdf.jpgRegimento interno do Museu de Astronomia e Ciências Afins: 2022-Museu de Astronomia e Ciências Afins (Brasil) (MAST)2022-11-25-
2016_regimento_interno_mpeg_revogado.pdf.jpgRegimento interno do Museu Paranaense Emílio Goeldi: 2016-Museu Paranaense Emílio Goeldi (Brasil) (MPEG)2016-11-16-
2020_regimento_interno_mpeg.pdf.jpgRegimento interno do Museu Paranaense Emílio Goeldi: 2020-Museu Paranaense Emílio Goeldi (Brasil) (MPEG)2020-09-11-
2022_regimento_interno_mpeg.pdf.jpgRegimento interno do Museu Paranaense Emílio Goeldi: 2022-Museu Paranaense Emílio Goeldi (Brasil) (MPEG)2022-11-22-
2016_regimento_interno_on.pdf.jpgRegimento interno do Observatório Nacional: 2016-Observatório Nacional (Brasil) (ON)2016-11-16-
2020_regimento_interno_on.pdf.jpgRegimento interno do Observatório Nacional: 2020-Observatório Nacional (Brasil) (ON)2020-09-11-
2022_regimento_interno_on.pdf.jpgRegimento interno do Observatório Nacional: 2022-Observatório Nacional (Brasil) (ON)2022-11-25-
Relativeca dopplera efekto ce unuforme akcelata movo - III: efeito doppler relativa em um movimento uniforme acelerado - IIIPaiva, Filipe de Moraes; Teixeira, Antônio Fernandes da FonsecaCentro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF)2008Ce special-relativeco ni detale priskribas lum-Doppleran efikon inter restanta lum-fonto kaj observanto kun rektlinia movado kaj konstanta propra akcelo -- Na relatividade especial, nós descrevemos detalhadamente o efeito Doppler luminoso entre uma fonte em repouso e um observador com movimento retilíneo e aceleração própria constante.
Relatório 1997 : Subprograma de Ciência e Tecnologia PPG-7-Brasil. Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT)1998Em 1997, os componentes do Subprograma de Ciência e Tecnologia do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG-7) - Projetos de Pesquisa Dirigida - PPD e Centros de Ciência - CC, desempenharam um papel relevante na geração e disseminação de conhecimentos para a conservação e o desenvolvimento sustentável na Região Amazônica. Apesar das dificuldades administrativas e financeiras, as missões de acompanhamento e avaliação obtiveram impressão positiva do desenvolvimento do Subprograma e da capacidade de contribuir efetivamente para o cumprimento dos objetivos do PPG-7. Os 23 (vinte e três) projetos de pesquisa dirigida contratados a partir de agosto de 1996 e executados ao longo de 1997, com objetivos de minimizar a pressão do desmatamento sobre as florestas primárias, desenvolver tecnologias para recuperar áreas de pastagens abandonadas e degradadas, compreender o papel da floresta amazônica, em termos de clima, hidrologia e fluxo de carbono, avaliar alternativas para o controle da malária e outras endemias, observar a prática dos índios Ticunas sobre territorialidade, fenômenos naturais, desenvolvimento pesqueiro e processos de saúde, conservar o peixe-boi da Amazônia e desenvolver banco de dados sobre plantas aromáticas, proporcionaram ações inovadoras e favoráveis à melhoria da qualidade de vida, bem como alternativas econômicas para o desenvolvimento sustentável das populações e da Região Amazônica. O componente Centros de Ciência promoveu melhorias na infraestrutura física e de serviços e na capacitação de recursos humanos do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA e do Museu Paraense Emílio Goeldi - MPEG, de modo que, no futuro, estas instituições possam atuar como centros de excelência, constituindo-se em uma base de referência para o desenvolvimento de pesquisas científicas e tecnológicas voltadas para a conservação da floresta amazônica e o uso sustentado de seus recursos. As obras de recuperação e melhoria estão em fase final.
Relatório [anual] 2009: [CETENE]-Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (Brasil) (CETENE)2009O Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste - CETENE é uma unidade de pesquisa e desenvolvimento do Ministério da Ciência e Tecnologia, vinculado ao Instituto Nacional de Tecnologia. Sua missão é desenvolver, introduzir e aperfeiçoar inovações tecnológicas que tenham caráter estratégico para o desenvolvimento econômico e social do Nordeste brasileiro, promovendo cooperações baseadas em redes de conhecimento e nos agentes da economia nordestina. O CETENE atua como núcleo articulador de redes temáticas que envolvem os mais variados atores da sociedade, com o objetivo principal de promover a integração de esforços e competências para a utilização do conhecimento como instrumento de inovação e de solução de problemas. As ações do CETENE incluem a prestação de serviços, orientação para implantação de projetos tecnológicos desenvolvidos a partir de estudos científicos e prospecção de demandas da sociedade. Essa atuação estratégica permite o compartilhamento de infraestruturas de P&D, tornando-as mais acessíveis e melhorando ouso dos recursos disponíveis, além de incentivar o desenvolvimento de pesquisas conjuntas, que aproximam demanda e oferta,contribuindo para reduzir as distâncias e diferenças tecnológicas com outras regiões do País.
Relatório anual 2008: [CGEE]-Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (Brasil) (CGEE)2010Ciência, tecnologia e inovação são partes integrantes da agenda brasileira do futuro. O pais ganhou competitividade global na pesquisa agropecuária, integra o primeiro time das nações que investem no desenvolvimento de energias renováveis e implementa projetos de exploração sustentável da Amazônia. O sistema de pós-graduação esta consolidado, forma mais de dez mil doutores por ano, e a visibilidade da ciência brasileira e crescente. As agencias de fomento se articulam em torno de políticas de apoio a inovação que começam a ganhar repercussão no setor produtivo. E o CGEE se orgulha de ser protagonista dessa historia. O ano de 2008 foi particularmente estimulante para o Centro. Os estudos contribuíram para a implementação do Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional e deu continuidade aos estudos prospectivos setoriais para a Agencia Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), articulados com a Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP). O CGEE teve participação importante na organização do Centro de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE); articulou competências em torno de estudos estratégicos nas áreas de nanotecnologia, biotecnologia e materiais avançados, entre outros; subsidiou decisões de repercussão no mercado como, por exemplo, a de alteração do Plano Geral de Outorgas pela Anatel; assumiu a tarefa de apoiar o plano de gestão estratégica da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), agencia responsável pela gestão dos recursos do FNDCT; e foi parceiro de organização internacional na elaboração de um estudo que ressaltou a relevância do potencial inovador da economia brasileira associado a base de recursos naturais. Ao longo de sete anos, o CGEE fortaleceu suas competências nodais em prospecção tecnológica, avaliação estratégica e gestão da informação e do conhecimento, criando as condições para cumprir a tarefa que lhe foi atribuída no Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI): construir consensos entre o Estado e a sociedade, conferir caráter estratégico a política nacional CT&I e subsidiar políticas publicas para o desenvolvimento social e tecnológico. Em 2009, o CGEE tem pela frente varias tarefas voltadas para a melhoria continua das suas ações, entre as quais se destacam: implantar nova política de pessoal, que inclui um novo Plano de Cargos e Salários; consolidar seus processos metodológicos nas suas áreas nodais de atuação, estando previstas interlocuções e parcerias com instituições congêneres no Brasil e no exterior; apoiar o fortalecimento do modelo institucional de organização social, em estreita articulação com o MCT; e implementar os macroprocessos gerenciais. São passos importantes para que o Centro continue a realizar com qualidade e efetividade estudos para informar processos decisórios que subsidiem o aprimoramento das políticas de CT&I, contribuindo para acelerar a incorporação do conhecimento pela sociedade e difundir a cultura da inovação no setor produtivo.
Relatório anual 2009--2010Com este Relatório Anual a Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron - ABTLuS cumpre a obrigação de oferecer subsídios para a avaliação prevista no Contrato de Gestão estabelecido com o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a ser realizada por Comissão de Acompanhamento e Avaliação (CAA) estabelecida para tal fim. No plano interno da Organização Social, o presente Relatório foi submetido a apreciação dos integrantes do Conselho de Administração. As atividades sobre as quais o Relatório Anual informa decorrem dos seguintes Termos Aditivos apensados ao Contrato de Gestão válido para o período 2006-2009: 240 Termo Aditivo, que subsidia as atividades realizadas pelo Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), incluindo-se aquelas sob responsabilidade específica do Centro de Biologia Molecular Estrutural (CeBiME), e, também, a continuidade da implantação do Centro de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE); 250 Termo Aditivo, que subsidia as atividades de desenvolvimento do projeto da nova Fonte de Luz Síncrotron.
Relatório anual 2009--2010Com este Relatório Anual a Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Sincrotron - ABTLuS cumpre a obrigação de oferecer subsídios para a avaliação prevista no Contrato de Gestão estabelecido com o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a ser realizada por Comissão de Acompanhamento e Avaliação (CAA) estabelecida para tal fim. No plano interno da Organização Social, o presente Relatório foi submetido a apreciação dos integrantes do Conselho de Administração. As atividades sobre as quais o Relatório Anual informa decorrem dos seguintes Termos Aditivos apensados ao Contrato de Gestão válido para o período 2006-2009: 240 Termo Aditivo, que subsidia as atividades realizadas pelo Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), incluindo-se aquelas sob responsabilidade específica do Centro de Biologia Molecular Estrutural (CeBiME), e, também, a continuidade da implantação do Centro de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE); 250 Termo Aditivo, que subsidia as atividades de desenvolvimento do projeto da nova Fonte de Luz Síncrotron
Relatório anual 2009-Indústrias Nucleares do Brasil (INB)2009Em 2009, as Indústria Nucleares do Brasil desenvolveram projetos e ações no sentido da autossuficiência e da sustentabilidade para cumprir a missão para a qual foi criada, que é garantir o fornecimento do combustível nuclear para geração de energia elétrica, com segurança, qualidade, responsabilidade social e ambiental, transparência e autossuficiência econômica
Relatório anual 2009: Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer-Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (Brasil)2009Trata-se do primeiro relatório anual público do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, CTI, que pretendemos editar anualmente a partir deste. Consideramos esta prática muito salutar, constituindo uma ferramenta para avaliações internas e externas e, sobretudo, para a divulgação das atividades. Esta divulgação permite fomentar novos interessados nos resultados e/ou estabelecimento de novas demandas e parcerias. A missão do CTI resume-se em "gerar, aplicar e disseminar conhecimentos em Tecnologia da Informação, em articulação com os agentes socioeconômicos, promovendo inovações que atendam às necessidades da sociedade". Esta missão implica numa forte interação com a sociedade em geral, com empresas e com a comunidade de pesquisa e acadêmica. Devemos dar suporte ao desenvolvimento industrial, transformando conhecimento científico e tecnológico em bens e produtos para a sociedade. Com base na missão apresentada, desenvolvemos vários projetos de pesquisa e de desenvolvimento tecnológico, em parceria com empresas, bem como com universidades. Várias destas parcerias se dão na forma de redes de pesquisa, algumas das quais descritas neste relatório. Iniciamos o relatório com uma breve descrição dos nossos dez laboratórios ou divisões tecnológicas. Na sequência apresentamos de forma sucinta os 58 projetos em andamento no CTI, agrupados nas áreas de microeletrônica, software, aplicações e de participação em redes. Mesmo não sendo foco de atuação do CTI, contribuímos também com a formação de recursos humanos, que resumimos na sequência. Um resumo dos nossos indicadores de gestão e a lista de divulgação científica são apresentado na parte final do relatório. Consideramos as atividades em andamento no CTI de maior relevância para o desenvolvimento do país, tendo em vista o impacto das tecnologias da informação sobre nossa sociedade e economia. Os semicondutores têm sido a base da revolução ocorrida nas áreas de informática, automação e telecomunicações, entre outras, viabilizando o advento da sociedade da informação. Alimentam um mercado de produtos eletrônicos e de prestações de serviço que representam 10% do PIB mundial (US7,8 trilhões em 2007), 25 vezes maior que sua própria indústria. Esta participação deve crescer significativamente nos próximos anos com a introdução de novas aplicações e ampliação das existentes. Como exemplos, citamos a substituição das atuais lâmpadas de filamento e fluorescentes por lâmpadas de diodos semicondutores emissores de luz (LED); o emprego de dispositivos semicondutores na construção em larga escala de redes inteligentes de energia elétrica (smart grids) visando a redução de falhas e maior eficiência energética; o uso generalizado de redes de sensores com aplicações revolucionárias que beneficiarão quase todas atividades de uma sociedade moderna, notadamente, na agricultura, na saúde, no controle ambiental, nos processos industriais, na identificação automática de mercadorias e objetos, no controle de tráfego, etc. O uso de micro e nano-dispositivos sensores e atuadores (conhecidos como MEMS - Micro-Electro-Mechanical Systems) e de sistemas de células fotovoltaicas para geração de energia limpa são também exemplos de aplicações das tecnologias de microeletrônica que farão crescer sua importância para a sociedade. Todos estes dispositivos permitem o desenvolvimento de sistemas complexos, onde o projeto dos componentes, do software embutido e das aplicações deve ser considerado de forma integrada e não isolada.